O que é Arquitetura Paleocristã

Games Mais Vendidos
E-Books Mais Vendidos

O período que segue a ascensão do cristianismo pode gerar muitas dúvidas. São tantos eventos ocorrendo ao mesmo tempo em diversas regiões da Europa que a arquitetura se transforma imensamente. Então vamos esclarecer definitivamente esta questão.

Basílica de São Paulo Extramuros, Roma – sec. IV. Construída pelo imperador Constantino I. fachada clássica com pórtico coríntio.
Interior da Basílica de São Paulo Extramuros. Roma – sec. IV. Foto: Berthold Werner – https://commons.wikimedia.org

Durante o século I o cristianismo não tinha reconhecimento e os primeiros cristãos pertencentes a camadas mais baixas da população, não tiveram condições de desenvolver uma arquitetura própria. Os primeiros sinais começaram a surgir a partir do século II d.C., quando dos primeiros registros de uma  arte e arquitetura cristã rudimentar, sobretudo expressa em pinturas murais de catacumbas subterrâneas.

Foi somente com a ratificação do Édito de Milão em 313 d.C. por Constantino, validando livre culto aos cristãos, que a arquitetura foi impulsionada significativamente para uma nova direção. Os cristãos até então perseguidos e sem um lugar apropriado para seus cultos se viram livres para praticar sua fé, contudo, o antigo templo pagão se apresentava totalmente inapropriado para tal. As diferenças religiosas entre o paganismo e o cristianismo eram tão grandes que clamaram por uma total transformação arquitetônica religiosa. Esta transformação de fato ocorreu através da apropriação de um edifício civil chamado Basílica, o qual servia a diversos aspectos da vida pública. Esta mudança radical de uso estabeleceu as bases da arquitetura Cristã Ocidental. Para saber mais acesse A Basílica Antes do Cristianismo.

Santa Sabina, Roma – 422 a 432 d.C. Vista a partir da abside. Foto: Dnalor 01 – https://commons.wikimedia.org
Interior da Basílica de Santa Sabina, Roma. 422 a 432 d.C. Santa Sabina ainda preserva sua arquitetura original, foi construída com a finalidade de Igreja Cristã e é um dos poucos exemplares tão bem preservados do modelo Basílica Paleocristã. Foto: Livioandronico2013 – https://commons.wikimedia.org

O cenário desta transformação foi envolto por tempos difíceis para o Ocidente. De 379 a 402 a capital do Império Romano foi transferida para Milão,ocorrendo a divisão entre Império Ocidental e Oriental e dando inicio a  uma importante bifurcação de caminhos: a arquitetura Paleocristã ou Cristã Primitiva se desenvolveu no Ocidente vivenciando um Império cada vez mais enfraquecido e uma série de acontecimentos importantes e diretamente ligados ao cristianismo. Por fim, sofreu influência Oriental durante o período em que a capital foi novamente transferida, desta vez para Ravenna, na atual Emília Romagna, entre 402 e 476, e finalmente viu o Império Romano Ocidental sucumbir diante da invasão Ostrogoda em 476.

Já o Império Romano do Oriente seguiu forte e criou sua própria identidade arquitetônica a partir do reinado de Justiniano (527 a 565 d.C.), consolidando a arquitetura Bizantina que se perpetuaria pelo próximo milênio, fortemente sustentada por raízes clássicas.

Este é também o momento de ruptura com os ideais de beleza, harmonia e perfeição do mundo clássico. A arte se transforma em um instrumento do cristianismo com objetivo principal de comunicar a nova religião. Este é um ponto de profunda importância para se compreender tamanha modificação tanto arquitetônica quanto artística da Antiguidade Clássica para a Era Cristã. A arte retorna para a figuração e estabelece padrões que só seriam novamente questionados quase mil anos mais tarde.

Primeira imagem de Maria com o Menino Jesus documentada. Catacumbas de Santa Priscila, Roma. sec. II d.C.

A arquitetura paleocristã não é propriamente uma classificação,  mas sim um termo usado para designar a arquitetura que se desenvolveu para o cristianismo nos primeiros séculos da nossa era, mais precisamente entre os séculos II e V d.C.

*

 

De modo bem amplo podemos traçar um panorama da arquitetura pós-antiguidade clássica se iniciando com a arquitetura paleocristã ou cristã primitiva a partir da consolidação do cristianismo no séc. IV d.C., passando pela consolidação da arquitetura Bizantina no século sec. VI, sofrendo as influências dos povos do Norte da Europa, até o Movimento Carolíngio no séc. IX e terminando no séc. XI, com o Cisma do Oriente em 1054, dividindo definitivamente a Igreja entre Católica Ocidental e Ortodoxa Oriental.

Esquerda: Afresco da Basílica Paleocristã de São Pedro, Vaticano. Séc. IV d.C. Projeto anterior ao atual, um modelo paleocristão típico. Centro: planta e diagrama, também São Pedro, Vaticano. Direita: Modelo Padrão da Basílica Paleocristã de planta longitudinal e suas partes mais relevantes.

Para saber mais acesse 3 Momentos da Arquitetura Clássica.

*Tetrarquia: Período em que o Império Romano foi governado por quatro Imperadores (Tetrarcas).

  • 284 a 305 – governo de Diocleciano – instaura a tertrarquia
  • 306 a 337 – governo de Constantino – restaura o governo centralizado em um único Imperador.

Não perca mais nenhum post!

 

One Response

Deixe uma resposta