Chateau Margaux e o Neopalladianismo Francês

postado em: Idade Moderna | 0

Microsoft


google-maps-icone-baixaChateau Margaux é mais que um vinho, é também arquitetura clássica do mais alto nível. A sede da vinícola é pura inspiração. Adquirida em 1801 por Bertrand Duat, Marquês de Colonilla, foi totalmente reconstruída em 1810. O arquiteto escolhido foi Louis Combes. Ele projetou uma obra prima da arquitetura clássica. Um raro representante do Neopalladianismo Francês. Algo tão especial que ilustra a marca de um dos melhores vinhos do mundo.

O Estilo Palladiano ou Palladianismo, deriva dos estudos de Andrea Palladio, 1508-1580, arquiteto e teórico italiano que resgatou os princípios Vitruvianos, buscando reestabelecer a essência clássica antiga. Seu trabalho se apoia em três pilares: simetriaperspectiva e valores da arquitetura greco-romana. Palladio nos deixou o tratado “Il Quattro Libri dell’Architecttura” de 1570, que repercutiu imensamente, lançando o Palladianismo para o mundo.

ChateauMargaux-1000
Chateau Margaux Castle -1810, Bordeau, France.

Infelizmente houve também muita oposição aos conceitos do arquiteto e após sua morte, houve certa dormência de seus conceitos. Com os resgates classicistas do século XVIII, novos arquitetos voltaram a se inspirar nos conceitos palladianos para seu projetos, o que gerou uma nova corrente arquitetônica denominada Neopalladianismo, uma das bases para o Neoclassicismo.

Observem como o projeto de Combes é simétrico, em uma leitura que busca a essência clássica. O pórtico reproduz exatamente o que seria a fachada principal do templo greco-romano. Suas linhas são totalmente limpas, despidas de qualquer ornamentação que não seja essencial e o plano destacado do pórtico lança a perspectiva ao nosso olhar. De maneira que todos os fundamentos defendidos por Palladio são expressos claramente.

Deixe uma resposta