A Catedral de Pisa

postado em: Idade Média | 0
Games Mais Vendidos
E-Books Mais Vendidos
Arcadas na fachada frontal da Catedral. Um de seus elementos mais marcantes.

Aproveite para cadastrar seu email.

Não perca mais nenhum post!


google-maps-icone-baixaA Catedral de Pisa (Duomo di Pisa), consagrada à Virgem Maria é um edifício singular. Sua construção foi iniciada em 1.064, com projeto inicial de Buscheto (arquiteto do qual se tem poucos registros) e foi consagrada em 1.118, pelo Papa Gelósio II. Passou por um incêndio e diversas reformas chegando a atualidade bem preservada e aberta a visitação. Está situada dentro do Complexo Histórico da Praça dos Milagres (Piazza dei Miracoli), que inclui o Batistério, a famosa Torre inclinada e o Camposanto, dentro dos muros da cidade medieval de Pisa, região da Toscana.

Entrando no complexo histórico, a visão de parte da catedral e o campanário ao fundo.

Embora a torre tenha conquistado muito mais fama por conta de sua inclinação, ela nada mais é do que o campanário da Catedral, então nada mais justo que esta seja nosso principal objeto de estudo por ora. Então vamos lá, você sabe qual é o estilo arquitetônico dela?

*

*

*

A Catedral de Pisa possui planta em forma de cruz latina com cinco naves e é um dos mais belos exemplares do estilo Românico Toscano, também chamado Proto-Renascentista, com todas as características que o definem.

A fachada principal com suas arcadas sobrepostas.
A fachada principal com suas arcadas sobrepostas.

Românico italiano busca, mais do que qualquer outra variação românica, referências classicistas romanas. O resgate à grandiosidade da Roma Antiga não é uma exclusividade Renascentista. Desde o século X, quando grandes transformações sociais e de estrutura organizacional se alteraram trazendo o declínio do sistema feudal, o espírito de reconstrução baseado em referências antigas ressurgiu e estabeleceu o estilo que conhecemos por Românico. Esta arquitetura baseada na pedra, inspirada em modelos da antiguidade e reforçada pelo Cristianismo levou a Europa para uma evolução arquitetônica que culminou no Estilo Gótico, sobretudo no Norte.

Na península Itálica em específico, encontramos pontos de grande desenvolvimento arquitetônico com interpretações singulares. O Românico Toscano é um destes regionalismos, podendo ser admirado em todo o seu esplendor em Pisa. É menos austero que o Românico do Norte e o  material construtivo corrobora com isso, o mármore abundante na região foi muito empregado. As trocas comerciais com Constantinopla conferiram grande influência bizantina e, finalmente, houve também influência muçulmana, muito mais intensa no Românico Siciliano, mas também presente na toscana.

Estas influências geraram uma arquitetura extremamente ornamentada, com motivos singulares e projetada dentro dos ideais antigos reinterpretados, tanto que muitos estudiosos utilizam o termo “Proto-Renascimento” para designar o Românico Toscano. O termo é realmente muito apropriado, pois sendo a região toscana a fonte do Renascimento para o mundo, nada mais natural que este movimento tenha se formado e criado sua identidade a partir de uma evolução natural de longo prazo e que o estilo Românico seja a fonte, pois este nunca deixou de ter uma ligação com o classicismo, seja em maior ou menor intensidade.

Fachada lateral. Podemos observar uma das principais características do estilo: os arcos cegos em série, elementos de relevo em uma superfície, sem abertura ou passagem.

Uma das característica deste projeto e, do românico como um todo, é a utilização do arco cego. Observe a vista acima de uma das fachadas laterais e tente reconhecer os elementos arquitetônicos. Temos arcos cegos ritmando toda a fachada, estruturados por pilastras. Janelas pequenas, uma característica românica, lebre-se que ainda não há domínio da técnica para grandes aberturas. Ao mesmo tempo é clara a evolução da antiga basílica paleo-cristã, as janelas de baixo com arcos de volta inteira participando da composição dos arcos cegos e ainda mais um lance superior de janelas. Acima destas e visíveis nas próximas imagens a terceira fileira superior de janelas, o eclestório. Bicromia, as placas de mármore que recobrem a fachada apresentam duas tonalidades principais e formam lindos padrões.

Detalhe de ornamentação da fachada principal. Observe a presença da ordem coríntia nestas colunas ricamente ornamentadas. O trabalho no mármore revela a influência oriental nos ornamentos em meio a motivos clássicos.

 

Principais características que definem o Românico Toscano ou Proto-Renascimento Italiano:

  • Influência Clássica, Bizantina e Muçulmana.
  • Referências específicas ao classicismo romano.
  • Presença de arcos cegos.
  • Bicromia: principalmente na utilização do mármore.

*

As dimensões do complexo histórico são impressionantes. Nesta imagem dá para ter uma ideia das proporções da Catedral.

Vista aérea do complexo. Pela cobertura da Catedral fica fácil observar as cinco naves, o duomo e o Batistério à frente, totalmente independente, outra característica do românico italiano. Ao fundo a muralha medieval e a cidade.

Preparamos uma linha do tempo focada na arquitetura da península itálica. Enquanto ao norte observa-se a evolução do românico para o gótico de forma muito mais perceptível, com influência no sentido norte – sul, na Toscana as influências são mais significativas no sentido sul – norte, desenvolvendo um estilo muito mais singular, ora nomeado como românico ora como gótico, mas independente do nome,  inseridos dentro de um mesmo contexto e similaridades arquitetônicas, tanto estruturais quanto ornamentais.

Quer se aprofundar mais no tema? Então veja: O que é Arquitetura Peleocristã?

*
Imaginarium

*